IAPO - Interamerican Association of Pediatric Otorhinolaryngology

 

Novidades

RECOMENDAÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA OROFARINGOSCOPIA EM CRIANÇAS E CUIDADOS ASSOCIADOS DURANTE PANDEMIA DA COVID-19

Março de 2020

IAPO – Interamerican Association of Pediatric Otorhinolaryngology

Com relação ao diagnóstico das FARINGOTONSILITES e a realização da OROFARINGOSCOPIA e considerando que as CRIANÇAS apresentam IMPORTANTE participação na transmissão comunitária do coronavírus e também considerando significativo número de otorrinolaringologistas e pediatras infectados e que infelizmente faleceram com a COVID-19, RECOMENDA-SE:

 

I- Para as crianças com queixas agudas de orofaringe, que buscam atendimento no CONSULTÓRIO, o atendimento deberá ser realizado com o médico paramentado adequadamente com os EPIs listados abaixo. Para o diagnóstico clínico de uma faringo/tonsilite estreptocócica é sempre necessário a confirmação microbiológica por teste rápido para o Stepto do grupo A ou por cultura. Lembrar que os procesos virais se acompanham de coriza, tosse e hipermia conjuntival.

Ia. Em crianças com suspeita de quadros virais com impacto significativo (VSR, Influenza, Parainfluenza, Adenovírus) ou bacterianos (Mycoplasma, Clamídia ou Bordetella), entre outros, deve ser solicitado a pesquisa rápidas de Influenza e/ou VSR ou painéis moleculares para diagnóstico de agentes virais e até mesmo o exame para o Coronavírus. Com isso, aumentam-se as chances de diagnósticos específicos, tranquilizamos as famílias (excluindo diagnósticos da COVID-19) e podemos instituir tratamentos conforme o diagnóstico microbiológico.

II- As crianças com episódios agudos que buscam o PRONTO ATENDIMENTO, devido as orientações de isolamento social, muito provavelmente apresentam quadros mais graves de faringotonsilites (virais ou bacterianas);

III- O exame da orofaringe e da boca e a realização de swaab nasal e da faringe deveriam ser feitos utilizando-se os mesmos cuidados e paramentação recomendados para pacientes suspeitos da COVID19 em situação geradora de aerossol:

IIIa. uso de capote impermeável descartável, máscara N95, óculos de proteção, gorro e luvas (sequência indicada da paramentação) antes de entrar no consultório, quarto ou box de isolamento;

IIIb. a máscara N95 é de uso individual e reutilizável pelo mesmo profissional. Ela pode ser reutilizada enquanto estiver limpa e íntegra e a presença de pêlos faciais na zona de contato da máscara com o rosto (barba, bigode, costeletas), reduz drasticamente sua capacidade de proteção e deve ser evitada;*

IIIc. retirar do local pessoas não envolvidas nos procedimentos; manter a porta do consultório, sala ou quarto fechada;

IIId. realizar higienização terminal do ambiente se o paciente não for permanecer no local;

IIIe. Pediatras, otorrinolaringologistas e outros profissionais imunossuprimidos ou gestantes não devem prestar atendimento a pacientes com suspeita do COVID-19.

IV- Em Hospitais de grande porte, com equipes de Pediatria e Otorrinolaringologia, recomenda-se dividir as equipes de pediatras e otorrinolaringologistas, (idealmente incluindo demais profissionais da saúde e colaboradores) que atendem aos pacientes internados ou em pronto atendimento em pelo menos 2 times que se revezam a cada 1 ou 2 semanas. Deve-se tomar medidas para evitar o contato entre profissionais de times diferentes.

*De acordo com o IPOG (International Pediatric Otolaryngology Group) COVID19 Survey (publicado em 1 de abril 2020), em procedimentos clínicos com geração de aerossol, o uso da máscara N95/FFP3 está disponível apenas para 58% dos médicos de 306 Departamentos de Otorrinolaringologia Pediátrica e Instituições de todos os continentes (43 representaram o Brasil).

Referências Bibliográficas

  1. Chinese expert consensus on the perinatal and neonatal management for the prevention and control of the 2019 novel coronavirus infection (First edition) Annals of Translational Medicine. DOI: 10.21037/atm.2020.02.20
  2. DIRETORIA EXECUTIVA ABORL-CCF 2020. 3ª NOTA DE ORIENTAÇÃO AOS MÉDICOS OTORRINOLARINGOLOGISTAS EM RELAÇÃO À DOENÇA CAUSADA PELO NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), ABORL-CCF, 18 de março de 2020
  3. IPOG (International Pediatric Otolaryngology Group) COVID19 Survey;1 de abril 2020
  4. Kam KQ, Yung CF, Cui L et al. A Well Infant with Coronavirus Disease 2019 (COVID-19) with High Viral Load. Clin Infect Dis 2020
  5. Little P, Hobbs FDR, Moore M et al. Clinical score and rapid antigen detection test to guide antibiotic use for sore throats: randomised controlled trial of PRISM (primary care streptococcal management). 2013; 347: f5806
  6. Lu D, Wang H, Yu R et al. Integrated infection control strategy to minimize nosocomial infection of corona virus disease 2019 among ENT healthcare workers. J Hosp Infect 2020
  7. Michael Kuo (President) and Steven Powell (Honorary Secretary) on behalf of BAPO. Statement on SARS Cov2 and Paediatric Otolaryngology Provision. The British Association for Paediatric Otolaryngology (BAPO), 25th March 2020
  8. RCPCH- Royal College of Paediatrics and Child Health & BPAIIG-British Paediatric Allergy Immunity & Infection Group. Tonsillar examination – infection control implications Asymptomatically infected children, Tues 24 March 2020 version 1.0
  9. Rebecca Maunsell, Claudia Schweiger, Melissa Avelino, José Faibes Lubianca Neto, Nayara Soares Lacerda, Debora Bressan Pazinatto (Academia Brasileira de Otorrinolaringologia Pediátrica ). 7ª NOTA DE ORIENTAÇÃO AOS MÉDICOS OTORRINOLARINGOLOGISTAS EM RELAÇÃO À DOENÇA CAUSADA PELO NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19), ABOPe e ABORL-CCF, 30 de março de 2020
  10. SARS-CoV-2 Infection in Children, NEJM. March 18, 2020
  11. Shen K et al. Diagnosis, treatment, and prevention of 2019 novel coronavirus infection in children: experts’ consensus statement. World J Pediatr. 2020 Feb 7

Colaboração:

IAPO – Interamerican Association of Pediatric

Otorhinolaryngology: Tania Sih, Ricardo Godinho, Marcelo Silber

Departamento de Otorrinolaringologia do Hospital Pequeno Príncipe: Lauro João Lobo Alcantara, Rodrigo Guimaraes Pereira, Fabiano Bleggi Gavazzoni, André Ataide, Elise Zimmermann Mathias, Trissia maria Farah Vassoler, Ian selonke, Juliana Benthien Cavichiolo, Mirian Beatriz Grupenmacher, Leila Crisgiovani, Rafaela Mabile Sobreiro

 

 

Fonte: IAPO

Mapa do Site

GN1

© Interamerican Association of Pediatric Otorhinolaryngology - 1995-2020 - Todos os direitos reservados

Rua Mato Grosso, 306, Higienópolis, Conj 1511 - São Paulo/SP - CEP 01239-040 - Tel: 55 (11) 3283-3396 | 55 (11) 3283-4645 | 55 (11) 3259-4112
55 (11) 3255-7630